Menu

Cultura Com danças amazônicas, Festival Folclórico de Manaus vai até quinta-feira, 23

Eduardo Figueiredo – Da Agência Amazônia

MANAUS – Após 13 noites de apresentações de quadrilhas, cirandas, danças nordestinas, internacionais e bois-bumbás, o 64° Festival Folclórico do Amazonas, realizado no Centro Cultural Povos da Amazônia, Zona Sul de Manaus, vai até esta quinta-feira, 23. O festival teve início no dia 12 de junho e mais de 60 mil pessoas já prestigiaram as atrações.

Organizado pela Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult), o festival retornou ao calendário de eventos do município, após dois anos suspenso. Segundo o diretor-presidente da Manauscult, Alonso Oliveira, foi necessário diversos diálogo entre os poderes públicos para que o festival pudesse retornar. A expectativa é de que o evento movimente a economia local com aproximadamente R$ 1 milhão.

Nós reunimos a força da Assembleia Legislativa do Amazonas, do Governo do Estado, da Câmara Municipal e da Prefeitura de Manaus gerida pelo prefeito David Almeida, para que pudéssemos trazer o festival folclórico para o mês de junho e na bola da Suframa. Hoje, dentro da nossa realidade, foi possível conceder um reajuste financeiro de aproximadamente 20% para as categorias”, enfatizou Alonso Oliveira.

De acordo com a Manauscult, o valor correspondente ao pagamento de apoio financeiro nos termos do Edital de Chamamento Público N° 002/2022, publicado no Diário Oficial do Município (DOM) N° 5.328, páginas 29 a 35, de 25 de abril 2022, foi depositado na conta das ligas e associações folclóricas.

Apresentação de quadrilhas durante o festival (Divulgação)

Categorias

Dividido nas categorias bronze, prata e ouro, o festival conta com a apresentação de 144 grupos de danças, que serão julgados por seis jurados técnicos e com vasta experiência, sendo teatrólogos, antropólogos, musicistas e historiadores. Os campeões em cada categoria serão conhecidos ao final do evento.

A fundadora e “rainha” da quadrilha cômica Mercenários da Roça, Bárbara Braga, explica que o grupo levou 36 brincantes para a apresentação na arena do CCPA, sendo um dos grupos mais novos na categoria bronze, com 8 anos.

Voltar depois de dois anos é inexplicável, é uma emoção muito grande. A quadrilha surgiu depois que uns amigos de duas quadrilhas diferentes resolveram se unir, aí surgiu a ´Mercenários da Roça´. E a nossa preparação começou em novembro do ano passado, foi uma preparação muito árdua. Quero aqui agradecer a Prefeitura de Manaus que nos deu essa oportunidade de voltar o festival para o mês de junho, que é o mês junino”, afirmou.

O festival conta com apresentação de 144 grupos de danças (Divulgação)

Para a assistente social Gracilene Medeiros, 45, é bom ver que o evento retornou com força total. Ela elogia ainda a organização e policiamento do festival. “Eu achei tudo muito organizado, está muito bom, vi que a população retornou com força total. Por conta da pandemia, nós ficamos por muito tempo sem nenhuma atração, sem nenhuma diversão. O que eu pude observar, hoje, é que aqui está muito organizado, cheio de família, tem segurança, as mesas estão liberadas para as pessoas poderem assistir mais próximo, tem barracas com comidas típicas, espaço para as crianças, eu recomendo o evento”, comenta.

Personalidades homenageadas

Durante o evento, quatorze personalidades do folclore local foram homenageadas pelos relevantes serviços prestados à arte e cultura do Amazonas. Dentre eles estão: Júlio Barroso, Antônio Alcântara, Rubens Galvão, Raimundo Nonato Bentes, Milton Ferreira, Luiz Gilberto, Adelson Cavalcanti, Carlos Alberto Gomes de Souza, Maria de Fátima Lima da Silva, José Ribamar dos Santos, Antônio Paulo de Almeida, Maria das Graças Costa de Lima, Josefa dos Santos Costa e Ivo Morais.

O público também pode assistir apresentações de bois-bumbás de Manaus (Divulgação)

Gastronomia e empreendedorismo

O festival conta com uma praça de alimentação, que oferece as mais variadas guloseimas típicas. Localizadas próximo à arquibancada do anfiteatro, as barracas vendem os pratos a partir de R$ 5. No cardápio, têm comidas regionais e típicas dos festejos, como bobó de camarão, carne de sol, tacacá, farofa de camarão, milho cozido, pamonha, bolo de macaxeira, cachorro-quente, batata frita, sanduíches, pizza, algodão-doce, pastel, entre outros pratos.

Está movimentado, bem mais do que esperávamos, graças a Deus, trouxemos uma variedade de comidas típicas e o mais procurado aqui na barraca ‘Fino Sabor’ é o prato de pirarucu. Nossas comidas estão com preços entre R$ 5 a R$ 25”, disse a empreendedora Sthefanny Cardoso, 20 anos.

O festival dispõe de várias barracas com comidas típicas (Divulgação)

O festival conta também com uma área de artesanato e venda de produtos regionais, com peças e acessórios indígenas, entre outros artigos, que custam até R$ 25. A feira de artesanato é coordenada pela Secretaria Municipal do Trabalho, Empreendedorismo e Inovação (Semtepi).

Histórico do festival

O Festival Folclórico do Amazonas teve início em 21 de junho de 1957, no campo do Quartel do 27° Batalhão de Caçadores, no estádio General Osório, em Manaus. Desde sua abertura, o festival reúne diversas danças folclóricas de grupos de vários bairros de Manaus, contribuindo para difundir a cultura popular do Estado.

Mas foi na praça Francisco Pereira da Silva, mais conhecida como “Bola da Suframa”, que o evento ganhou força e se tornou ainda mais conhecido na cidade. Mais tarde, foi criado o Centro Cultural Povos da Amazônia, que também abrigou a festa por muitos anos.

Veja a programação:

Terça-feira (21/6)

19h50 – Abertura do evento

20h – Vingadores de Virgulino (dança nordestina)

20h45 – Sedução da Compensa (ciranda)

21h30 – Mocidade da Roça (quadrilha tradicional)

22h15 – Ciranda do Armando Mendes (ciranda)

23h – Explosão na Folia (quadrilha tradicional)

23h45 – Império da Compensa (ciranda)

Quarta-feira (22/6) 

19h50 – Abertura do evento

20h – Rosas da Noite (quadrilha tradicional)

20h45 – Molejo (ciranda)

21h30 – Coração de São João (quadrilha tradicional)

22h15 – Caipira Rasta Pé na Roça (quadrilha tradicional)

23h – Unidos do Alvorada na Roça (quadrilha tradicional)

23h45 – Brotinhos do Parque (quadrilha tradicional)

Quinta-feira (23/6)

19h50 – Abertura do evento

20h – Meu Reino da Roça (quadrilha tradicional)

20h45 – Império na Folia (quadrilha tradicional)

21h30 – Junina Gaviões na Roça (quadrilha tradicional)

22h15 – Amor de São João (quadrilha convidada)

23h – Os Afobados na Roça (quadrilha convidada)

23h45 – Flor de Liz (quadrilha convidada)