Menu

Sociedade Crianças moradoras do Quilombo Urbano de São Benedito terão manhã de vacinação contra Covid-19

A vacinação será das 9h às 11h somente para as crianças quilombolas que estiverem na lista (Tomaz Silva/Agência Brasil / Alma Preta)

Priscilla Peixoto – Da Revista Cenarium

MANAUS — No próximo dia 25 de janeiro, as crianças moradoras da comunidade do Quilombo Urbano do Barranco de São Benedito, localizado no bairro Praça 14, zona Sul de Manaus, serão vacinadas com a primeira dose da vacina contra Covid-19. Mais de 30 crianças de 5 a 11 anos, carinhosamente chamadas de ‘quilombolinhas’, devem tomar o imunizante.

Segundo a professora e membro-fundadora da Associação das Crioulas do Quilombo Urbano de São Benedito (ACQUSB), Rafaela Silva, os pequenos serão vacinados na sede dos Escoteiros do Brasil, situado na Avenida Japurá, bairro Praça 14 de Janeiro, de 9 às 11h, somente para as crianças quilombolas com nome na lista formulada por integrantes da comunidade junto a profissionais de saúde.

“Diante do cenário pandêmico que estamos enfrentando há quase dois anos, a nossa felicidade veio com a notícia de que as crianças da comunidade do Quilombo serão vacinadas”, celebra Rafaela.

A vacinação será na sede dos Escoteiros do Brasil situado na Av. Japurá, na Praça 14 de Janeiro (Reprodução/ Divulgação)

Iniciativa

Segundo Rafaela, a iniciativa para imunizar as crianças da comunidade partiu da gestão da UBS Vicente Palloti juntamente com os responsáveis pela Casinha S39 (antiga casinha da família), que trabalha a saúde da população negra.

“Há três anos eles já faziam um trabalho com a comunidade quilombola relacionado à Saúde da População Negra, logo que nos acionaram para a vacinação infantil das crianças, uma das quilombolas, a Kely da Silva Fonseca, que é membro fundadora das crioulas, foi de casa em casa pedir a autorização dos pais e responsáveis das ‘quilombolinhas’ para vê se autorizavam a vacina, então foi feita uma lista e protocolada na UBS Vicente Palloti”, explica Rafaela.

Divulgar é importante

A quilombola destaca a necessidade de divulgar a importância da vacinação. Para Rafaela, a iniciativa incentiva outros pais em imunizarem seus filhos. Na leitura da professora, a crença na ciência e os recursos proporcionados por ela salvam vidas e é preciso consciência da população.

“Se não fosse a vacina nesse exato momento aqui em Manaus e no mundo, teríamos mais pessoas morrendo por causa desse vírus e das variantes que vão surgindo. Temos que nos conscientizar desde pequeno para o quão significação esse ato representa”, ressalta Rafaela. “Pedimos aos pais para não esquecerem do cartão de vacinação da criança, cartão do SUS ou CPF para mostrarem na hora”, finaliza.

(Reprodução/ Divulgação)

Dados

Vale lembrar que a vacinação contra o novo coronavírus para crianças da faixa etária de 5 a 11 anos começou no dia 17 de janeiro, em Manaus. A abertura da campanha pediátrica de imunização é escalonada e contempla, neste primeiro momento, o público infantil com comorbidades ou com deficiências permanentes (PCDs).

São mais de 34 mil imunizantes que serão distribuídos pela Fundação de Vigilância em Saúde Dra. Rosemary Costa Pinto aos municípios do interior do Amazonas. Segundo informações publicadas no Vacinomêtro Covid-19 Manaus até esta sexta-feira, 21, foram vacinadas 446 crianças entre a faixa etária 5 a 11 anos.