Menu

Polícia Indígena que incentivou protesto violento contra combate ao garimpo é condenado à prisão

Indígena, o vice-prefeito Valmar Kaba Munduruku é de uma das etnias mais prejudicadas pelo garimpo no País. (Divulgação)

Rômulo D’Castro – Da Revista Cenarium

ALTAMIRA (PA) – A Justiça Federal condenou a quatro anos e um mês de prisão o vice-prefeito de Jacareacanga, no interior do Pará. Indígena, o vice-prefeito Valmar Kaba Munduruku, de uma das etnias mais prejudicadas pelo garimpo no País de acordo com o Ibama, incentivou um protesto violento contra uma operação de combate ao garimpo ilegal em Jacareacanga.

Leia mais: Rio Madeira, no Amazonas, é palco de garimpo ilegal

Em maio de 2021, o município foi transformado em campo de guerra, porque garimpeiros apoiados por parte da população, incluindo algumas lideranças indígenas, como Valmar, se rebelaram durante a operação federal. 

À época, manifestantes contrários ao trabalho do Ibama, Polícia Federal e Força Nacional, invadiram a base de operações e atacaram os agentes de segurança. 

Houve troca de tiros, policiais ficaram feridos ao serem atingidos com rojões, pedras e paus. A pressão foi grande e os agentes, temendo pelas próprias vidas, acabaram deixando o local, sob orientação das chefias dos órgãos envolvidos nos trabalhos. 

A operação Mundurukânia foi deflagrada por decisão judicial, após investigação do Ministério Público Federal apontar que Jacareacanga é diretamente afetado pela prática de garimpagem sem regularização.

Leia mais: 90% do garimpo está concentrado na Amazônia, diz MapBiomas

Com a retirada das equipes de segurança, as atividades voltaram ao que eram antes e a extração ilegal de minério segue avançando sobre terras da União e áreas indígenas. Mas as investigações sobre a prática ilegal não foram suspensas. 

Depois de quase um ano em busca de punição para quem orquestrou protestos que terminaram com policiais feridos, casas queimadas e ameaças a quem se posicionou contra os garimpeiros, o Ministério Público Federal conseguiu na Justiça que os responsáveis fossem condenados. 

Além de Valmar Kaba Munduruku, a Justiça acatou pedido de prisão contra Allan Everson Dias Carneiro e Tiago Correia Pacheco. Tanto o vice-prefeito de Jacareacanga quanto Allan e Tiago foram condenados à prisão no regime semiaberto. 

Contra Valmar também pode ser acatado pedido de perda de cargo político. Se isso ocorrer, o vice-prefeito deixa o posto e ainda pode ser considerado inelegível.