Menu

Poder No AM, deputado quer aumentar em seis vezes o número de convocados para PM e Corpo de Bombeiros

O deputado estadual luta pela realização de concursos desde o início do mandato (Reprodução/Internet)
Da Revista Cenarium

MANAUS – O deputado estadual do Amazonas, Delegado Péricles (PL), protocolou na terça-feira, 1°, um requerimento que solicita ao Governo do Estado o aumento para seis vezes os números de vagas de convocados para as próximas etapas do concurso público da Polícia Militar (PMAM) e do Corpo de Bombeiros do Amazonas (CBMAM). De acordo com o parlamentar, horas após ele ter anunciado em suas redes sociais que protocolizaria o documento, resposta positiva à pauta foi sinalizada pelo chefe da Casa Civil, Dr. Flávio Antony. O ex-secretário de Segurança Pública do Amazonas, coronel Bonates, uniu forças a Péricles para mediar junto à gestão estadual.

“Estou nesta luta com os concurseiros desde o início e eles sabem disso. Antes mesmo da confirmação do concurso eu já lutava pelo chamamento dos concursados do CBMAM de 2008 e propunha emendas que assegurassem dotação orçamentária para a realização desses certames. Não posso deixá-los na mão, agora, mas gosto de trabalhar com o real. E esse é o melhor que podemos fazer neste momento. O coronel Bonates tem somado forças para garantirmos êxito e mais oportunidade a todos os aprovados”, continuou, ao assegurar que a proposta teve como base estudo de equipe técnica e considera, prioritariamente, a necessidade do fortalecimento do efetivo das corporações no Estado.

Recentemente, Péricles comemorou o aumento, em seis vezes, no número de provas discursivas corrigidas pela Fundação Getulio Vargas, para o concurso da Polícia Civil do Amazonas (PCAM) e, consequente publicação de uma segunda lista de aprovados. O deputado foi autor do requerimento atendido. Péricles luta pela realização de concursos desde o início do mandato. Ainda em julho de 2020, apresentou três emendas à Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para que fossem asseguradas previsão orçamentária para a realização de certames das polícias Civil, Militar e Corpo de Bombeiros.

Em outubro do mesmo ano, o deputado assumiu reivindicação contra o prazo de 30 dias de intervalo entre a publicação do edital e a realização do concurso, conseguindo fechar em 60 dias. Nesse período, o deputado também disponibilizou apostilas de estudos para os concurseiros.