Menu

Turismo Prestes a ser privatizado, Parque Nacional de Anavilhanas no AM foi a 35ª Unidade de Conservação mais visitada em 2021

O Parque Nacional de Anavilhanas recebeu mais de 21 mil visitas em 2021 (Ricardo Oliveira/Cenarium)
Bruno Pacheco – Da Revista Cenarium

MANAUS – Uma região que está prestes a ser concedida à iniciativa privada, o Parque Nacional de Anavilhanas, no Amazonas, foi a 35ª Unidade de Conservação (UC) mais visitada do Brasil em 2021, segundo um levantamento divulgado nessa quarta-feira, 13, pelo governo federal.

O local, que está sob a gestão do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), é reconhecido como Patrimônio Natural da Humanidade repleto de ilhas fluviais e praias de areia branca em meio à imensidão de árvores banhadas pelas águas do Rio Negro.

Anavilhanas, localizada no Amazonas, recebeu mais de 21 mil visitas em 2021 (Ricardo Oliveira/Cenarium)

De acordo com a pesquisa, Anavilhanas recebeu 21.897 visitas em 2021. O número representa uma alta de 33.5% em relação a 2020, quando o total de 16.399 foram ao parque. Em relação ao ano antes da pandemia da Covid-19, a diferença é expressiva, isso porque os dados do governo federal mostram que, há dois anos, 40.667 visitaram a UC. Ou seja, houve uma queda de 46% quando o levantamento é comparado com 2019.

Além da composição das ilhas, Anavilhanas é caracterizada pela variação do nível das águas onde, em época de cheia, grande parte da vegetação fica submersa. Na seca, as praias do parque surgem e podem ser apreciadas por moradores de comunidades do entorno, que têm no Rio Negro o único meio de locomoção para outras regiões.

Anavilhanas é caracterizada pela variação do nível das águas (Ricardo Oliveira/Cenarium)

O levantamento do governo federal contempla 198 UC administradas pelo ICMBio, mas somente 145 unidades estavam com demanda de visitação monitorada em 2021. Segundo o governo, os dados sobre atingiram um novo recorde histórico e alcançaram a marca de 16,7 milhões de visitas no ano passado. Entre as categorias de UC observadas, além dos parques nacionais (Parna), estão as Áreas de Proteção Ambiental (APA), Florestas Nacionais (Flona) e Reservas Extrativistas (Resex).

Na lista dos dez parques nacionais mais visitados em todo o País, no ano passado, o campeão foi o Parque Nacional da Tijuca, no Rio de Janeiro, com mais de 1,7 milhão de visitantes, sendo 1,2 milhão a mais do que em 2020. Em segundo, está o Parna de Jericoacoara, no Ceará, com 1.6 milhão. Em terceiro, está a Serra da Bocaina, que fica entre São Paulo e Rio de Janeiro, com 718 mil visitas.

Já na lista das dez unidades de conservação mais visitadas em 2021 no Brasil, a Área de Proteção da Baleia Franca foi, disparadamente, o primeiro lugar com a marca de 7.042.228 visitas, maior resultado anual já alcançado por uma UC. Em segundo lugar, está o Parna da Tijuca (RJ), com 1.7 milhão e, em terceiro, o Parna de Jericoacoara com 1,6 milhão.

Para a coordenadora de Planejamento, Estruturação da Visitação e Ecoturismo do ICMBio, Roberta Barbosa, o resultado do levantamento é reflexo direto de novos protocolos de monitoramento, qualificação e sensibilização, e demonstra boa tendência de recuperação da visitação nos parques nacionais, importante para retomada econômica após a crise sanitária.

“Em reflexo direto de novos protocolos de monitoramento, qualificação dos dados e, inclusive, da constante e crescente procura de espaços naturais pela sociedade, sendo a visitação uma ferramenta de sensibilização para as unidades de conservação enquanto áreas protegidas”.  

Veja as 35 UC mais visitadas em 2021:

Fonte: ICMBio, por meio do Ministério do Meio Ambiente

Iniciativa privada em Anavilhanas

O Parque Nacional de Anavilhanas foi criado em 1981 para preservar a região que comporta uma área de 350 mil hectares distribuídos no municípios de Novo Airão (70%), no Amazonas, e Manaus (30%). O território é o segundo maior arquipélago fluvial do mundo e abrange cerca de 400 ilhas e 60 lagos, dezenas de paranás (canais de rio) e furos (caminhos estreitos que atravessam os igapós) que formam o chamado “labirinto da floresta amazônica”. Desde 2021, o terreno está sujeito à iniciativa privada.

Imagem aérea de trecho do Arquipélago de Anavilhana (Ricardo Oliveira/Cenarium)

Um decreto publicado no Diário Oficial da União em 14 de abril de 2021 incluiu Anavilhanas e o Parque Nacional do Jaú, que também fica no Amazonas, no Programa Nacional de Desestatização (PND). As regiões ficaram entre as unidades de conservação que entraram na lista de concessões do Ministério do Meio Ambiente (MMA), no âmbito do Programa de Parcerias de Investimento (PPI).

À época, a Secretaria Especial do Programa de Parcerias de Investimento (PPI), ao qual está vinculado o PND, explicou em nota emitida à imprensa que o decreto se trata de um projeto de concessão de uso comum, ou seja, embora haja exploração da área, o território permanece como patrimônio da União. Segundo a pasta, a medida busca aprimorar e diversificar os serviços ofertados nas unidades, garantindo o aproveitamento sustentável das potencialidades econômicas existentes.

Veja também: Anavilhanas e ParnaJaú entram no programa de privatização do governo

No ano passado, o então ministro do Meio Ambiente também afirmou que o investimento privado é fundamental para que haja “prosperidade econômica”. “Entendemos que para melhorar a conservação e a preservação ambiental em todo o Brasil, mas sobretudo no nosso caso aqui na Amazônia, é importante que haja prosperidade econômica”, declarou o ministro, em uma entrevista à Rede Amazônica.

Estudo

Em 31 janeiro deste ano, o PPI participou do lançamento dos trabalhos para a estruturação dos projetos de concessão do Parque Nacional de Anavilhanas e de outros quatro novos parques e Florestas Nacionais, com o objetivo de avançar nas concessões. Os estudos foram estruturados pelo BNDES e iniciaram no mesmo dia de lançamento da iniciativa.

O consórcio “Uirapuru”, contratado pelo BNDES por meio de procedimento licitatório, será o responsável pela realização dos estudos de viabilidade técnica, econômica e jurídica. Nesta primeira fase de pesquisa, estão incluídas as Unidades de Conservação Parque Nacional da Serra dos Órgãos, no estado do Rio de Janeiro; Parque Nacional de Brasília e Floresta Nacional de Brasília, ambos no Distrito Federal; Parque Nacional de Anavilhanas e do Parque Nacional do Jaú, ambos no estado do Amazonas.

Acesse aqui os dados gerais de visitação.